Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

 Pessoas e Amizades de Macau PDF Imprimir



2014 -04 -14 [Voltar]
Abrandar o passo para captar a beleza de Macau


António com a sua câmara preferida

Fotografia de António às Ruínas de S. Paulo

"Vivi cerca de vinte anos na zona perto da Fonte do Lilau, e não fui lá uma única vez", conta António Leong, para ilustrar a sua forma de estar antigamente. Apesar de ter tanta beleza disponível ali tão perto de si, não sabia apreciar. Até que descobriu a fotografia, e isso fê-lo abrandar, passou a observar as coisas à sua volta com interesse, a apreciar a beleza da vida, a usar a câmara fotográfica para registar todos os momentos que lhe tocam. Neste abrandar o passo, em busca dos contrastes de sombra e luz, António redescobriu Macau – "de facto, Macau é uma cidade mesmo bonita," refere.

Olhando para trás, António recorda que, tal como para a maior parte das pessoas, a câmara que comprara tinha uma utilidade meramente prática, era sobretudo usada para tirar fotografias quando viajava. Foi o reconhecimento dos seus trabalhos que o levou a querer mergulhar a fundo no mundo da fotografia. Em 2010, integrou uma excursão fotográfica a Guilin, e aprendeu muito com os outros fotógrafos, trazendo consigo uma série de belas imagens, que partilhou na Internet e que foram fortemente elogiadas pelos amigos, germinando nele a confiança de que "afinal também sei fotografar umas coisas", e iniciando assim a sua incursão pelo mundo da fotografia.

António é funcionário público, faz fotografia por interesse pessoal. Apesar de se dedicar ao mundo da fotografia há apenas quatro anos, já conseguiu captar a beleza de todos os cantos de Macau. As suas imagens são partilhadas com o público numa página própria no facebook, Antonius Photosript, que conta com mais de quatro mil seguidores.

O rápido progresso que entretanto alcançou no domínio da técnica fotográfica, é graças ao seu esforço e dedicação. Apesar de ser um passatempo, quase todos os dias fotografa, fá-lo antes de ir para o trabalho, à hora do almoço, quando sai do trabalho, nos dias de descanso e em férias, percorre as ruas e vielas da cidade, sempre a fotografar, sempre a praticar. É este esforço e vontade incansáveis que lhe permitem progredir continuamente. António diz que, antigamente precisava de olhar através da objectiva para compor a imagem, mas agora já ganhou uma visão fotográfica. "Estou sempre a observar e a compor imagens quando ando", conta. "Já tenho a imagem formada na minha mente, basta carregar no botão e captar o momento."

António também dedica muito tempo a trabalhar as fotografias, sempre a experimentar novos efeitos, sobretudo ao nível da cor, dando um toque cinematográfico às imagens. Todos os anos, António tira milhares de fotografias, mais de cem por dia. E não se trata de simples registos fotográficos, mas elaborados trabalhos de composição, com sentido artístico e com um significado profundo. Um trabalho que não fatiga: "a fotografia é um interesse pessoal, um hábito, que faz parte da minha vida, que não me cansa," assinala.

Depois de se ter apaixonado pelo mundo da fotografia, António passou a ser um observador atento, a conhecer de cor os pontos de encanto de Macau. Gosta de se perder em dias de sol pelas ruas e vielas de Macau, acompanhado de uma câmara pequena. "Basta estar disponível, mudar a perspectiva, que coisas que consideramos banais, se revelam bonitas," refere.

A paixão pela fotografia além de preencher o mundo de António, também lhe tem trazido oportunidades para abrir novos horizontes. No ano passado, foi convidado pela Direcção do Serviços de Turismo para fazer uma exposição na Coreia para promover Macau. Para António é um grande incentivo que além do reconhecimento, os seus trabalhos permitam divulgar a sua cidade, assumindo com orgulho o papel de embaixador de Macau. Olhando para o futuro, António deseja continuar a progredir tecnicamente, que as suas imagens cheguem às páginas de revistas internacionais, que consiga organizar uma exposição individual em Macau e continuar a divulgar a cidade através das suas imagens.

Aos amadores de fotografia, António deixa o conselho de que se percam mais pelas ruas de Macau, observem o mundo e as suas pequenas coisas atentamente. "Macau apresentar-se-á mais bonita aos vossos olhos se andarem a pé," frisa, ao mesmo tempo que incentiva os amantes da fotografia a retratarem a vida do dia-a-dia e das zonas antigas da cidade.



Outros testemunhos:
ICM IAS DSEJ SSM ID