Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

 Nota de Imprensa Imprimir



2018 -01 -17 [Voltar]
Conferência Anual de Imprensa da DST - Executar o “Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau”, lançar o “Ano da Gastronomia de Macau”, participar activamente na construção de “Uma Faixa, Uma Rota”, promover o turismo da Grande Baía 


Conferência Anual de Imprensa da DST

Dirigentes da DST apresentam o plano de trabalho para este ano

A Conferência Anual de Imprensa da Direcção dos Serviços de Turismo (DST) decorreu hoje (dia 17). Na ocasião, a DST anunciou que, de acordo com dados preliminares, Macau recebeu em 2017 mais de 32,6 milhões de visitantes, registando um aumento anual de 5,4 por cento. O número de visitantes internacionais marcou um novo recorde, com um aumento de 6,2 por cento, representando perto de 10 por cento do total de visitantes. Ao mesmo tempo, o número de visitantes que pernoitam na cidade também verificou um aumento de aproximadamente 10 por cento, representando 52,9 por cento do total de visitantes da cidade, tendo atingido um novo recorde tanto na proporção como no número de visitantes. Em 2018, a DST irá empenhar-se na concretização das estratégias e recomendações do “Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau”, impulsionará o desenvolvimento da indústria do turismo para promover o progresso económico e apoiar o desenvolvimento das indústrias relacionadas.

No encontro com a comunicação social, a Directora da DST, Maria Helena de Senna Fernandes, fez um balanço da situação da indústria turística no ano passado e apresentou o plano de trabalho para este ano. Operadores turísticos e representantes da comunicação social, num total de mais de 400 pessoas participaram na ocasião, incluindo mais de 60 jornalistas de Macau, do Interior da China e de Hong Kong, e correspondentes para Macau.

Situação da indústria turística em 2017 (dados preliminares)
Em 2017, apesar das incertezas no quadro político global, e de Macau ter sido atingida pelo tufão Hato – o mais forte de que há registo histórico, com a recuperação gradual da economia de Macau e perante esforços conjuntos envidados pela indústria turística, em termos gerais, a indústria do turismo apresentou resultados satisfatórios no ano passado. De acordo com os números preliminares do ano passado, houve um aumento de visitantes tanto no número total, como da Grande China, internacionais, de visitantes que pernoitam, entre outros.

Número de visitantes internacionais atinge novo recorde

Macau registou em 2017 um aumento de 5,4 por cento no número total de visitantes, em comparação com 2016, totalizando mais de 32,6 milhões de visitantes. Do mercado da Grande China vieram mais de 29,4 milhões de visitantes, num aumento de 5,3 por cento. O número de visitantes internacionais atingiu novo recorde no ano passado, registando 3,1 milhões, num aumento de 6,2 por cento, representando 9,8 por cento do total de visitantes.

O Interior da China, Hong Kong e a região de Taiwan continuam a ser os três principais mercados de visitantes para Macau. No ano passado, mais de 20 milhões de visitantes do Interior da China estiveram em Macau, num aumento de 8,5 por cento, de entre os quais, 41 por cento vieram da província de Guangdong, e mais de 10 milhões visitaram Macau com visto individual, representando 47,8 por cento do total dos visitantes do Interior da China. Os mercados de Hong Kong e da região de Taiwan registaram uma descida de quatro por cento, e de 1,3 por cento, respectivamente.

Ao nível dos mercados de visitantes internacionais, a República da Coreia permanece no topo da lista como principal fonte de visitantes internacionais de Macau. No ano passado, mais de 870 mil visitantes coreanos vieram a Macau, num aumento de 32 por cento. Por outro lado, o mercado do Japão registou um aumento de 9,4 por cento e os mercados das Filipinas e da Indonésia marcaram um crescimento de sete por cento e oito por cento, respectivamente.

Proporção e número de visitantes que pernoitaram na cidade registam nova subida histórica

De acordo com números preliminares, desde Março do ano passado, durante dez meses consecutivos o número de visitantes que pernoitaram na cidade superou o número dos que não pernoitam. O número de visitantes que pernoitaram na cidade em 2017 foi de 17,2 milhões, um aumento de 9,9 por cento, representando 52,9 por cento do total de visitantes de Macau, uma subida homóloga de 2,2 pontos percentuais, registando um novo recorde tanto na proporção como no número de visitantes que pernoitaram na cidade. O período médio de permanência dos visitantes que pernoitaram na cidade manteve-se nos 2,1 dias, enquanto o tempo médio de permanência dos visitantes em geral permanece nos 1,2 dias.

Números preliminares mostram também que no ano passado os estabelecimentos hoteleiros acolheram mais de 13 milhões de hóspedes, numa subida de mais de oito por cento. Em 2017 os estabelecimentos hoteleiros tiveram uma taxa média de ocupação superior a 88 por cento, num aumento de mais de cinco pontos percentuais em comparação com 2016. No ano passado, os hotéis de três a cinco estrelas registaram um preço médio por quarto de 160,3 dólares americanos, numa descida de 0,2 por cento.

Macau conta, até ao final do ano passado, com 116 estabelecimentos hoteleiros, oferecendo um total de 37.901 quartos, num aumento anual de 0,7 por cento. Entre a oferta hoteleira, 49 dos estabelecimentos são de alojamento económico, providenciando 1.736 quartos.

Entre Janeiro e Setembro do ano passado, o total das despesas dos visitantes foi de 25,7 mil milhões de dólares americanos, num aumento de 16,1 por cento em relação ao período homólogo do ano anterior.

Retrospectiva dos trabalhos do turismo em 2017

No ano passado, a DST promoveu activamente vários trabalhos de relevo, incluindo a divulgação da versão final do “Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau”, e a coordenação dos preparativos para a candidatura de Macau a membro da Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área de Gastronomia, entre outros.

A DST realizou no ano passado mais de 2.100 inspecções a actividades e estabelecimentos turísticos, mais de 1.600 a postos fronteiriços e pontos de interesse turístico, e a 128 excursões. Ao nível do combate à prestação ilegal de alojamento, no ano passado foram inspeccionadas mais de 1.386 fracções e seladas 270 fracções, tendo o Grupo de Trabalho Interdepartamental levado a cabo 490 acções conjuntas. Por outro lado, a DST lançou um vídeo promocional “Tenha uma Boa Estadia em Macau”, para alertar os visitantes do Interior da China sobre aspectos a ter em conta quando participam em excursões a Macau, e sensibilizar para a racionalidade no consumo.

Para colaborar no desenvolvimento de um governo electrónico, a DST lançou o Sistema de Arrendamento de Instalações Online, o Sistema de Apresentação de Tabelas de Preços para Restaurantes, Salas de Dança e Bares, entre outros, e continuou a optimizar com novas funções a plataforma de informações noticiosas online “Macao Tourism News plus”, e a plataforma de dados estatísticos de turismo “Macao Tourism Data plus”. Por outro lado, a DST também publicou uma série de manuais de licenciamento, para apoiar os sectores relacionados a conhecerem as normas e os requisitos para pedido de licenciamento.

O “Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade”, que a DST realiza desde 2014, foi aperfeiçoado ao nível da avaliação e do mecanismo de prémios no ano passado. Actualmente, o programa conta com 232 empresas de restauração e 37 agências de viagens, que foram qualificadas como “Empresas de Qualidade”. No ano passado, mais de 2.600 pessoas participaram em acções de formação e workshops apoiados ou organizados pela DST para a indústria turística.

Os balcões de Informações Turísticas sob a alçada da DST receberam no ano passado mais de 1,17 milhões de visitas para pedidos de informações, recolha de material ou apresentação de opiniões. Também no ano passado, entrou em funcionamento o balcão de Informações Turísticas do Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa.

Quando Macau foi atingida, em Agosto do ano passado, pelo mais forte tufão de que há registo histórico, a DST envidou todos os esforços para coordenar e solucionar vários trabalhos no rescaldo do tufão, para se inteirar da situação actualizada e das necessidades dos operadores, foi suspensa a recepção de grupos turísticos pelas agências de viagens de Macau, entre outras medidas, para concentrar recursos nos trabalhos de reposição depois da calamidade.

Quatro grandes áreas de trabalho a impulsionar em 2018

Em 2018, a DST irá empenhar-se na concretização das estratégias e recomendações do “Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau”, impulsionará o desenvolvimento da indústria do turismo para promover o progresso económico e apoiar o desenvolvimento das indústrias relacionadas, e impulsionar uma série de trabalhos de acordo com as seguintes quatro grandes áreas de trabalho:

1. Participar activamente nos trabalhos de construção do turismo de “Uma Faixa, Uma Rota”

Alargar o espaço de cooperação com o Interior da China e os países integrados na Iniciativa de “Uma Faixa, Uma Rota”; reforçar a cooperação com os membros da “Aliança de Promoção Turística da Rota da Seda Marítima da China”, explorar em conjunto itinerários internacionais e produtos turísticos característicos, promover “itinerários multi-destinos”; aproveitar plataformas como feiras de turismo e conferências de grande envergadura, para divulgar os recursos turísticos das cidades e províncias do Interior da China integradas na Rota da Seda Marítima; apoiar estágios na área do turismo para Países de Língua Portuguesa, entre outros.

2. Desenvolver as vantagens únicas de Macau em construir conjuntamente o destino turístico da Grande Baía

Acelerar a integração da indústria do turismo da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau, explorar conjuntamente os mercados turísticos do Interior da China e do exterior, promovendo produtos turístico de “itinerários multi-destinos” da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, realizar promoções sobre a marca turística da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau nos principais mercados de visitantes, com o objectivo de impulsionar o desenvolvimento de cultura e turismo na Região do Delta do Rio das Pérolas, ao mesmo tempo, sugerir a realização de promoções conjuntas no quadro de cooperação Guangdong-Macau nos mercados exteriores com outras cidades da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau.

3. Implementar o conceito do turismo integrado para optimizar e elevar o ambiente do turismo

Através da indústria turística, impulsionar um desenvolvimento sócio-económico equilibrado; rever os mecanismos existentes de alerta de turismo e defesa civil; impulsionar o desenvolvimento do turismo inteligente, aproveitar a aplicação das novas tecnologias, para melhorar a experiência dos visitantes, criar uma base de megadados de turismo e reforçar a gestão da capacidade de recepção turística; continuar a implementar o “Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade”, estudar a possibilidade de alargar o programa a outros sectores; melhorar o regime jurídico do sector do turismo, acompanhar de perto o trabalho de revisão e elaboração da proposta de lei que regula o licenciamento e funcionamento dos hotéis, colaborar e preparar o trabalho de apreciação do projecto de diploma que regula as actividades das agências de viagens e dos guias turísticos; lançar o serviço de requerimentos de licenciamento online, de modo a elevar a eficiência administrativa em sede de licenciamento; reforçar a fiscalização da indústria, promover o turismo de qualidade; continuar a optimizar a “Macao Tourism News plus”, entre outros.

4. Promover produtos de cultura, desporto e gastronomia, criar uma marca de turismo marítimo

Integrar os recursos históricos e culturais, criar um turismo cultural de Macau e produtos turísticos comunitários; lançar o “Ano da Gastronomia de Macau” em conformidade com a designação de Macau como Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia, usar a “gastronomia” como tema de promoção da imagem cultural de Macau, e organizar e apoiar eventos internacionais relacionados com a gastronomia como o “Fórum Internacional de Gastronomia” e a Cerimónia de Entrega de Prémios “Asia's 50 Best Restaurants 2018”, reforçar o intercâmbio com os membros da Rede das Cidades Criativas da UNESCO; continuar a co-organizar e apoiar vários eventos e actividades festivas, promovendo Macau como “Cidade de Eventos e Festividades”; reforçar as sinergias entre as áreas do turismo, cultura e desporto; prosseguir com a remodelação do Museu Temático do Grande Prémio; apoiar parceiros da indústria local na operação de passeios marítimos entre a Península de Macau e as Ilhas da Taipa e de Coloane, entre outros.

Actualizada: 17/01/2018