Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

 Nota de Imprensa Imprimir



2019 -01 -23 [Voltar]
Conferência Anual de Imprensa da DST – Prosseguir com o acompanhamento do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, aprofundar o desenvolvimento como Cidade Criativa de Gastronomia, participar na construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como destino turístico e impulsionar o desenvolvimento do turismo inteligente


Conferência Anual de Imprensa da DST

Dirigentes da DST apresentam o plano de trabalho para este ano

Mascote do turismo de Macau “Mak Mak” na Conferência Anual de Imprensa da DST

Brinde dos dirigentes da DST acompanhados pela mascote do turismo de Macau “Mak Mak”
A Conferência Anual de Imprensa da Direcção dos Serviços de Turismo (DST) decorreu hoje (dia 23). Na ocasião, a DST referiu que, de acordo com dados preliminares, Macau recebeu em 2018 mais de 35,8 milhões de visitantes, registando um aumento anual de 9,8 por cento. Ao mesmo tempo, a proporção de visitantes que pernoitaram na cidade ultrapassou os excursionistas pelo terceiro ano consecutivo, verificando um aumento de 7,2 por cento, que representou 51,7 por cento do total de visitantes da cidade. Em 2019, a DST irá aprofundar o desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia, a empenhar-se no desenvolvimento do turismo inteligente, em implementar gradualmente os planos de acções do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, impulsionando o desenvolvimento da indústria do turismo para promover o progresso económico e apoiar o desenvolvimento das indústrias relacionadas.

No encontro com a comunicação social, a DST fez um balanço da situação da indústria turística no ano passado, e a directora da DST, Maria Helena de Senna Fernandes, apresentou o plano de trabalho para este ano. Operadores turísticos e representantes da comunicação social, num total de mais de 400 pessoas participaram na ocasião, incluindo jornalistas de Macau, do Interior da China e de Hong Kong e correspondentes para Macau.

Situação da indústria turística em 2018 (dados preliminares)
Apesar das incertezas no quadro político global, a indústria do turismo de Macau apresentou resultados globais satisfatórios em 2018, impulsionados pela entrada em funcionamento da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau e os esforços conjuntos envidados pela indústria turística. De acordo com os números preliminares do ano passado, houve um aumento de visitantes tanto no número total, como da Grande China, dos visitantes que pernoitam, das despesas dos visitantes, entre outros.

Macau registou em 2018 um aumento de 9,8 por cento no número total de visitantes, em comparação com 2017, totalizando mais de 35,8 milhões de visitantes. Do mercado da Grande China vieram mais de 32,6 milhões de visitantes, num aumento de 11 por cento. O número de visitantes internacionais registou mais de 3,1 milhões, numa ligeira descida de 1,1 por cento. Após a entrada em funcionamento da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau no dia 24 de Outubro de 2018, o número de visitantes que entraram em Macau através da ponte atingiu 1,05 milhões, tornando-se no segundo maior posto fronteiriço de entrada de visitantes em Macau durante esse período.

O Interior da China, Hong Kong e a região de Taiwan continuam a ser os três principais mercados de visitantes para Macau. No ano passado, mais de 25 milhões de visitantes do Interior da China estiveram em Macau, num aumento de 13,8 por cento, de entre os quais, 41 por cento vieram da província de Guangdong, e mais de 12 milhões visitaram Macau com visto individual, representando 48,6 por cento do total dos visitantes do Interior da China. Os mercados de Hong Kong e da região de Taiwan registaram uma subida de 2,6 por cento, e de 0,1 por cento, respectivamente.

Ao nível dos mercados de visitantes internacionais, a República da Coreia permanece no topo da lista como principal fonte de visitantes internacionais de Macau. No ano passado, mais de 810 mil visitantes coreanos vieram a Macau. Por outro lado, os mercados do Japão e das Filipinas registaram mais de 310 mil visitantes cada, e os Estados Unidos da América – o único mercado de longo curso entre os dez principais mercados de visitantes de Macau – marcou um crescimento de 8,3 por cento.

Proporção de visitantes que pernoitaram na cidade supera os que não pernoitaram durante três anos consecutivos
De acordo com números preliminares, o número de visitantes que pernoitaram na cidade em 2018 foi de mais de 18,4 milhões, num aumento de 7,2 por cento, representando 51,7 por cento do total de visitantes de Macau, registando pelo terceiro ano consecutivo desde 2016, uma proporção de visitantes que pernoitaram na cidade superior aos que não pernoitaram. Verificou-se ainda, para o ano inteiro, um acréscimo de dois dígitos do número de visitantes que não pernoitaram, representando mais de 17,3 milhões de visitantes, num crescimento de 12,7 por cento. O período médio de permanência dos visitantes que pernoitaram na cidade registou um acréscimo de 0,1 dias, fixando-se nos 2,2 dias, enquanto o tempo médio de permanência dos visitantes em geral permanece nos 1,2 dias.

Subida na ocupação hoteleira e na despesas dos visitantes
Números preliminares mostram também que no ano passado os estabelecimentos hoteleiros acolheram 14 milhões de hóspedes, numa subida de cerca de seis por cento. Em 2018 os estabelecimentos hoteleiros tiveram uma taxa média de ocupação superior a 90 por cento, num aumento de mais de três pontos percentuais em comparação com 2017. No ano passado, os hotéis de três a cinco estrelas registaram um preço médio por quarto de 168,8 dólares americanos, numa subida de sete por cento.

Macau contava, até ao final do ano passado, com 120 estabelecimentos hoteleiros, oferecendo um total de 40.109 quartos, num aumento anual de 5,8 por cento. Entre a oferta hoteleira, 50 dos estabelecimentos são de alojamento económico, providenciando 1.776 quartos.

Entre Janeiro e Setembro do ano passado, o total das despesas dos visitantes foi de 29,8 mil milhões de dólares americanos, num aumento de 11,9 por cento em relação ao período homólogo do ano anterior.

Retrospectiva dos trabalhos do turismo em 2018
No ano passado, a DST promoveu activamente vários trabalhos de relevo, incluindo a iniciação e acompanhamento dos planos de acção apresentados no Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, iniciação dos trabalhos para o desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia, participação activa na construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como destino turístico, combate à prestação ilegal de alojamento, entre outros.

Um ano após a divulgação do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau em Setembro de 2017, a DST já lançou e acompanhou os trabalhos relativos aos 67 planos de acção de curto prazo para os oito objectivos chave. Quanto ao impulsionamento do desenvolvimento do turismo inteligente, a DST implementou os detalhes técnicos da Plataforma de Partilha de Informações Turísticas, experimentou tecnologias inteligentes para ajudar a dividir o fluxo de visitantes, e expandiu serviços a mais destinatários da base de dados online de notícias “Macao Tourism News plus”.

Para assinalar a designação de Macau como Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia, a DST lançou a iniciativa de “2018 Ano da Gastronomia de Macau” para o reforço da promoção e sensibilização sobre a gastronomia de Macau, a criação de uma base de dados sobre a comida macaense, e participou activamente nos trabalhos da Rede de Cidades Criativas da UNESCO.

A DST participou nos trabalhos para o desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como um destino turístico, incluindo mediante a realização de promoções turísticas conjuntas com outras cidades da Grande Baía, e do lançamento de produtos turísticos multi-destinos no mercado internacional. 

Em 2018, a DST realizou mais de 1.983 inspecções a actividades e estabelecimentos turísticos, e 1.877 a postos fronteiriços e pontos de interesse turístico. Ao nível do combate à prestação ilegal de alojamento, no ano passado foram inspeccionadas 1.379 fracções e seladas 245 fracções, tendo o Grupo de Trabalho Interdepartamental levado a cabo 463 acções conjuntas. Por outro lado, a DST já submeteu a nova versão do projecto de diploma que regula a actividade hoteleira e similar, bem como acompanhou activamente a revisão do diploma legal que regula as agências de viagens e a profissão de guia turístico, para melhorar o regime jurídico do sector do turismo e reforçar a qualidade dos serviços turísticos.

Quatro pontos-chave de trabalho a impulsionar em 2019
Este ano, a DST irá empenhar-se no aprofundamento do desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia, na concretização dos planos de acções do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, e em impulsionar uma série de trabalhos de acordo com os quatro pontos-chave. Por outro lado, em 2019, para assinalar a celebração do 20.° aniversário do estabelecimento da RAEM, a DST e outros serviços relevantes irão organizar em conjunto uma série de celebrações e eventos.

Quatro pontos-chave de trabalho da DST a impulsionar este ano:
1.    Aprofundamento do desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia e aumento do efeito das acções de promoção turística
Através dos conceitos de “herança, inovação, intercâmbio”, apoiar o desenvolvimento da indústria local de restauração; Reforçar a herança da comida típica macaense e a sua inovação, continuar a impulsionar a criação de uma base de dados a comida macaense; Continuar a participar nas actividades das Cidades Criativas de Gastronomia em diversas partes do mundo, lançar intercâmbio e cooperação interdisciplinar com cidades de outras áreas criativas da Ásia; Organizar e apoiar a realização de actividades internacionais relacionadas com a gastronomia, e organizar diversas actividades turísticas nos principais mercados de visitantes, introduzir produtos turísticos temáticos de gastronomia, de modo a alargar a promoção como Cidade Criativa de Gastronomia.

2.    Desenvolvimento das vantagens singulares, participação na construção do turismo da Grande Baía e na iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”
Promover activamente o desenvolvimento de Macau como uma base de formação do turismo da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau; Apoiar e organizar a vinda de funcionários de entidades governamentais de turismo dos países de língua portuguesa a virem a Macau para participar em acções de formação; Em articulação com a entrada em funcionamento da Ponte de Hong Kong-Zhuhai-Macau, realizar-se-á um estudo para avaliar o comportamento dos visitantes, a fim de definir estratégias de promoção mais eficazes; Explorar mercados diversificados e promover os itinerários multi-destinos em conjunto com as cidades da Região Metropolitana da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau; Aproveitar os mecanismos de cooperação regional como a Federação Turística da Região da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau para impulsionar o desenvolvimento turístico da Região da Grande Baía e realizar acções de promoção conjuntas.

3. Impulsionamento do desenvolvimento do turismo inteligente, optimização e elevação da qualidade do turismo
Iniciar-se-ão os trabalhos de recolha e divulgação de dados da “Plataforma de troca de dados do turismo”, por forma a criar um banco de megadados do turismo; Aproveitar-se-ão os megadados para analizar o comportamento de viagens dos visitantes, a fim de servirem para definição de estratégias de promoção turística e base de estudos no futuro; Realizar-se-á a monitorização em tempo real nos pontos de atracção turística em locais de grande fluxo de pessoas, de forma a articular mais eficazmente a divisão e escoamento de visitantes; Criar um robô apto a fornecer informações turísticas aos visitantes; Lançar uma nova página electrónica de promoção turística com um novo design; Acompanhar de perto os trabalhos de revisão dos diplomas que regulam a actividade dos estabelecimentos hoteleiros bem como a actividade das agências de viagens e a profissão dos guias turísticos; Dar continuidade rigorosa às acções e inspecções de combate à prestação ilegal de alojamento; Continuar a implementar o Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade, elevar a qualidade do turismo.

4. Conclusão do Museu Temático do Grande Prémio, realização de eventos comemorativos
Promover activamente as obras de remodelação do Museu Temático do Grande Prémio; Realizar uma série de acções comemorativas do 20.o aniversário do estabelecimento da RAEM nos principais mercados de visitantes; Realizar actividades de grande escala em Portugal em articulação com o Ano da China em Portugal; Promover activamente as acções promocionais do grande evento cultural e turístico “Arte Macau”; Apoiar-se-ão, de forma contínua, as associações locais na organização de diversas actividades turísticas comunitárias e culturais com temas diversificados; Apoiar-se-á e colaborar-se-á com a indústria local no desenvolvimento de produtos turísticos marítimos.
Actualizada: 23/01/2019