Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

Resposta às opiniões públicas


Data Assuntos do Turismo
2018-11-19 Comentários de associação de guias turísticos sobre situação relacionada com “excursões” do Interior da China

Resposta da DST sobre comentários de uma associação de guias turísticos referente à situação de determinadas “excursões” do Interior da China:

Uma associação de guias turísticos disse recentemente que, junto da Praça das Portas do Cerco, surgiu grandes números de agrupamentos de residentes do Interior da China a deslocarem-se a Macau. Depois de entrarem na cidade, juntamente com a pessoa que chefia o grupo, apanham os autocarros de ligação gratuitos das operadoras de jogo (“shuttle bus”) para chegarem ao destino. Uma vez que os membros destes agrupamentos usam o mesmo estilo de chapéus ou roupas, e para facilitar a concentração, a pessoa que chefia o grupo leva uma bandeira ou um ornamento como sinal de identificação. Mais ainda, esses grupos não são recebidos por agências de viagens de Macau ou guias turísticos locais com licença, motivo que levou a indústria turística, a questionar se esses agrupamentos se coadunam com as disposições legais de Macau, de requerer acompanhamento por guias turísticos com licença.

Em resposta a esta situação, a DST já reforçou o trabalho de fiscalização nos postos fronteiriços e nos pontos de atracção turística, e aumentou a realização de acções de inspecção conjunta com o Corpo de Polícia de Segurança Pública e a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais para assegurar que o funcionamento das excursões turísticas segue os regulamentos exigidos. A DST realizará ainda em breve uma reunião com as autoridades de turismo do Interior da China, a fim de serem encontradas medidas para contrariar a situação.

De acordo com a análise das informações obtidas durante as acções de fiscalização, a DST verificou que os agrupamentos oriundos do Interior da China referidos anteriormente, são em alguns casos organizados por agências de viagens do Interior da China, e em grande número por diferentes empresas industriais e comerciais ou até organizações comunitárias. O ponto comum destes grupos é não existir um itinerário turístico definido em Macau, e não pernoitarem na RAEM, aproveitando sobretudo o serviço gratuito dos “shuttle bus” das operadoras de jogo, como meio de transporte do posto fronteiriço até ao destino, e após passeio e compras voltam, seguem o percurso inicial para o posto fronteiriço onde dispersam.

Durante a curta permanência em Macau, os agrupamentos acima mencionados dedicam-se principalmente a actividades livres, de passeio, para tirar fotografias e fazer compras. Não se tendo verificado haver pessoas no grupo a providenciar serviço de apresentação turística.

De referir que, com o desenvolvimento da Internet, é mais fácil obter informações turísticas, alterando-se também o modelo tradicional das excursões turísticas. De facto, ao abrigo da lei de Macau, nas viagens turísticas colectivas é obrigatório o acompanhamento por guia turístico, mas não é o número de visitantes que define se os agrupamentos estão ou não sujeitos aos requisitos para as viagens turísticas colectivas. Ou seja, o legislador não estipulou o número de visitantes que vêm para Macau como critério para o acompanhamento por guia turístico. Na prática, a DST irá efectuar uma análise geral e ponderar as informações recolhidas, para determinar se as actividades desses agrupamentos em Macau viola ou não os diplomas legais que regulam as agências de viagens e a profissão de guia turístico locais.

Embora se verifique semelhança no aspecto geral entre os agrupamentos em causa e as excursões turísticas, contudo esses grupos depois de chegarem a Macau, aproveitam os “shuttle bus” de ligação gratuita das operadoras de jogo como meio de transporte para se deslocarem para os hotéis e recintos de entretenimento. Esta práctica não viola os diplomas legais de Macau que regulam as agências de viagens e a profissão de guia turístico.

Na qualidade de entidade fiscalizadora, a DST atribui grande importância à referida situação reflectida pela associação de guias turísticos, mantendo o diálogo com as autoridades do turismo do Interior da China, para troca de informações. Ao mesmo tempo, a DST continua a enviar pessoal para realizar inspecções aos postos fronteiriços e pontos de interesse turístico, e a levar a cabo inspecções aleatórias para averiguar a situação da recepção das excursões turísticas. Quanto às suspeitas violações dos diplomas legais de Macau, serão recolhidas provas e identificadas as causas. Caso seja encontrado algum visitante a exercer ilegalmente a profissão de guia turístico em Macau, será punido conforme a lei de Macau, e o caso será notificado às autoridades de turismo do Interior da China.

2018-09-26 DST adiou exibições do concurso de fogo-de-artifício por preocupações com a segurança

Resposta da DST sobre o adiamento das datas do 29.° Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau:

Tendo em conta as previsões da Direcção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau referentes ao impacto da passagem do super tufão Mangkhut, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) anunciou no dia 12 de Setembro que os espectáculos pirotécnicos da terceira noite do 29.° Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau (a cargo das companhias pirotécnicas de França e Portugal), inicialmente agendados para 15 de Setembro, passariam para outra data. Perante a situação de urgência que se impôs, os materiais pirotécnicos para os espectáculos dessa noite foram imediatamente transferidos para um depósito de explosivos do governo de Hong Kong para armazenamento temporário.

Quando todos os sinais de tempestade tropical foram baixados às 18h00 do dia 17 de Setembro, a DST procedeu de imediato à avaliação das condições técnicas para retomar o Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau, anunciando no dia 18 de Setembro o novo calendário do concurso através da sua página electrónica, de uma nota de imprensa, de publicidade em diferentes meios de comunicação social, entre outros canais.

Na organização de eventos de grande escala, a DST pondera em primeiro lugar a segurança do público e dos participantes. Dado que o fogo-de-artifício é um produto químico altamente perigoso, a reorganização do transporte de materiais pirotécnicos e das barcaças de apoio para Macau, requer a passagem por uma série de inspecções e procedimentos de desalfandegamento. A instalação do fogo-de-artifício também detém o seu grau de risco, além de ter de satisfazer os critérios de segurança, consultores técnicos de fogo-de-artifício também têm de fazer supervisão no local para garantir a segurança e controlar a qualidade do lançamento. Conforme a experiência anterior, estes procedimentos requerem em regra quatro dias para serem concluídos.

Como os espectáculos a cargo das companhias pirotécnicas de França e Portugal foram adiados para a noite de 21 de Setembro, a instalação do fogo-de-artifício das companhias da Alemanha e Áustria, cujos espectáculos estavam anteriormente agendados para a quarta noite do concurso (24 de Setembro), só pôde ser iniciada a 22 de Setembro. Após consulta da opinião dos consultores técnicos de fogo-de-artifício, a fim de garantir a equidade do concurso assegurando que as equipas dispunham de tempo suficiente para concluir a instalação dos equipamentos de forma segura, os espectáculos para a quarta noite do concurso também tiveram de ser adiados por um dia, passando a ter lugar na noite de 25 de Setembro.

No futuro, serão envidados esforços para introduzir melhorias em termos técnicos e de mecanismos de divulgação de informações repentinas. A DST irá proceder a uma reavaliação para procurar melhores formas de resolução do problema, continuará a aperfeiçoar o ambiente técnico e trabalhos relacionados, para evitar mudanças nas datas dos espectáculos pirotécnicos. Ao mesmo tempo, a DST irá aperfeiçoar o mecanismo de divulgação de informações em situações imprevistas, para transmitir mensagens aos visitantes de forma mais ampla e contínua através de vários canais e meios de transmissão.

2018-07-31 DST prossegue com coordenação e acompanhamento do desenvolvimento do projecto de Turismo Marítimo de Macau

Resposta da DST a opiniões da sociedade referentes ao desenvolvimento do projecto de Turismo Marítimo de Macau:

A DST tem mantido uma atitude activa em relação ao desenvolvimento dos produtos turísticos costeiros. No “Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau”, é mencionado um plano de acção de curto prazo referente ao apoio a programas de cruzeiros turísticos. Em articulação com o rumo do desenvolvimento dos produtos turísticos costeiros, a DST toma a iniciativa de acompanhar o Turismo Marítimo de Macau, assumindo a coordenação com os serviços competentes para apoiar a indústria no lançamento de produtos turísticos neste âmbito.

Actualmente, já há operadores interessados em investir na rota turística marítima entre a Península de Macau, Taipa e Coloane. Neste sentido, a DST já realizou várias reuniões de trabalho interdepartamentais e, de acordo com os requisitos dos desenvolvimentos em concreto, tem negociado e coordenado relativamente a aspectos como o local do cais, as instalações complementares do porto, as suas instalações adjacentes, as rotas de navegação, entre outros. Nesta fase, as autoridades competentes já apresentaram as sugestões e pareceres técnicos, bem como acompaharam as inspecções das embarcações.

A DST irá continuar a coordenar e acompanhar activamente os trabalhos relacionados, a manter a comunicação com os serviços e indústrias relevantes, realizando reuniões periódicas, envidando esforços para apoiar o desenvolvimento dos produtos turísticos marítimos, bem como a promoção e divulgação dos projectos após o seu lançamento, em sintonia com os trabalhos do Governo da RAEM para a transformação de Macau num centro mundial de turismo e lazer.

2018-07-16 Optimização do desenvolvimento complementar da profissão de guia turístico

Resposta da DST sobre a optimização do desenvolvimento complementar da profissão de guia turístico:

A elaboração da proposta de lei que regula as agências de viagens e a profissão de guia turístico, bem como o respectivo fluxo legislativo são processados conforme o mecanismo de coordenação central da produção legislativa do Governo da RAEM. De acordo com o plano de trabalho, espera-se que a proposta de lei seja apresentada ao Conselho Executivo e submetida para discussão na Assembleia Legislativa em 2018, com a agenda concreta a ser coordenada pelos serviços competentes.

No actual regime jurídico de Macau e na proposta de lei em vigor que regula as agências de viagens e a profissão de guia turístico, não é contemplada uma avaliação para graduação e certificação dos guias turísticos. Tendo em conta as especificidades e a diversidade das funções prestadas pelos guias turísticos aos visitantes, uma regulamentação da avaliação para graduação por lei, poderia facilmente tornar a mesma estanque. No entanto, as associações do sector podem avaliar e graduar os guias turísticos por iniciativa própria.

Com o intuito de promover e apoiar os operadores turísticos de Macau a melhorar continuamente a qualidade dos serviços prestados, a elevar a competividade e a expandir as oportunidades de ascensão profissional, a DST organiza, anualmente, desde 2013, vários cursos de formação profissional, workshops e palestras para os trabalhadores da linha da frente das agências de viagens e guias turísticos. O conteúdo de formação abarca temas como psicologia, técnicas de atendimento, consciencialização para situações de crise, com os cursos a incluírem: em 2013, Workshop para Guias Turísticos sobre “Técnicas de Resolução de Conflitos”; em 2014, Seminário sobre “Gestão de Crises” (Orador: Terence K. L. Wong) e Workshop sobre “Atendimento a Clientes e Ética no Trabalho”; em 2015, Seminário sobre Etiqueta Empresarial Internacional e Imagem Profissional (Oradora: Mary Cheung), Workshop sobre “Turismo e Cultura Islâmicas” e Workshop para “Prevenção e Gestão de Crises” para Guias Turísticos; em 2016, Curso de Introdução à Língua Coreana para os Guias Turísticos, Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade – Curso de Formação: Conceitos para o Atendimento a Clientes, Worskshop de “Análise de Riscos e Gestão de Crises”; em 2017, Curso de Intermédio à Língua Coreana para Guias Turísticos, Workshop de Avaliação de Personsalidade e Curso de Gestão de Stress e Emoções; em 2018 já foi organizado o Seminário “Dizer Adeus a Desastres de Relações Públicas” (Oradora: Akina Fong). Na segunda metade do ano, a DST prosseguirá com a organização dum Workshop sobre Técnicas de Comunicação e um Workshop sobre Gestão de Crises. Por outro lado, a DST organizou anteriormente vários outros Workshops para Serviço de Correios de Turismo, Workshop sobre Técnicas de Gestão de Agências de Viagens, Workshop sobre Como Lidar com Clientes Muito Exigentes e Curso de Gestão de Conflitos - Qualificação Internacional City & Guilds.

No futuro, a DST irá continuar a manter a comunicação e ligações com a indústria turística para se inteirar das necessidades do sector.

2018-07-06 Transformação da promenade do Lago Nam Van numa praça de lazer distinta

Resposta da DST a opiniões de individualidades da sociedade referentes à transformação da promenade do Lago Nam Van numa praça de lazer distinta:

O “Anim’Arte Nam Van” é gerido conjuntamente pelo Instituto Cultural, Instituto do Desporto, Direcção dos Serviços de Turismo e pelo Instituto de Formação Turística, reunindo no mesmo local equipamentos de lazer aquáticos, restauração, lojas de produtos culturais e criativos, a fim de transformar a promenade do Lago Nam Van numa praça de lazer distinta, e proporcionar, tanto a residentes como a visitantes, experiências e serviços turísticos mais diversificados, bem como explorar mais elementos de cultura, turismo e lazer de Macau.

As quatro lojas de produtos culturais e criativos no “Anim’Arte Nam Van” são seleccionados, através de concurso público, para que todos os interessados de Macau, designadamente, cidadãos e pessoal do sector, possam concorrer e utilizar estas instalações, de forma justa e transparente, e de igualdade de oportunidades para todos os candidatos. As respectivas lojas não possuem preço base, mas não são fornecidas gratuitamente. Os concorrentes precisam de estimar plenamente a viabilidade, os custos de funcionamento, o equilíbrio entre receitas e despesas, e avaliar os riscos do projecto. Atendendo ao conteúdo da proposta e do contrato, os gestores devem cumprir as regras e obrigações de utilização do espaço em causa, sendo desenvolvido sob monitorização rigorosa do Govemo da RAEM. Atendendo à grande dedicação, alto risco e prazos de contrapartidas longos, o Governo da RAEM adopta políticas de apoio, seleccionando os melhores concorrentes, proporcionando-lhes um espaço cultural e criativo fundamental para a indústria poder desenvolver os seus negócios, procurando, por um lado, apoiar às micro, pequenas e médias empresas locais, reduzindo parte dos custos de funcionamento e, por outro, cultivar mais projectos culturais e criativos locais de qualidade.

Os sete restaurantes e lojas de venda de produtos alimentares são também seleccionados, através de concurso público. O preço base é o limite mínimo da renda da loja, e a decisão do último valor de renda proposto consta na proposta entregue pelo concorrente. Todas as empresas e indivíduos locais que reúnam os requisitos exigidos podem ser admitidas ao presente concurso. Um café gerido pelo Instituto de Formação Turística esteve em funcionamento temporário como local de estágio e formação para os estudantes, para preparar talentos de alta qualidade a favor do desenvolvimento do sector de serviços de restauração.

Neste sentido, a natureza e os objectivos de utilização do espaço em questão, não são adequados para uma simples analogia directa com as lojas comerciais para aluguer no mercado.

2018-06-29 Optimização do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau e concretização do plano de acção para cooperação regional

Resposta da DST sobre a optimização do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau e concretização do plano de acção para cooperação regional:

Em 2017 a Direcção dos Serviços de Turismo concluiu e divulgou a versão final do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, na qual foi referida uma série de planos de acção relacionados com a cooperação regional, como por exemplo: desenvolver em conjunto produtos turísticos com as cidades vizinhas, analisar o desenvolvimento do projecto do turismo das Ilhas, acelerar o desenvolvimento de barcos de recreio, organizar eventos potenciais em duas cidades, entre outros.

Em relação à concretização do plano de acção para cooperação regional, em conformidade com os trabalhos de construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, em 2017 a DST aderiu-se à Federação Turística da Região Metropolitana da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau, e através de mecanismos de cooperação entre Guangdong-Macau, Guangdong-Hong Kong-Macau, Fujian-Macau, entre outros, continua a cooperar de forma estreita com as autoridades do turismo de várias regiões para criar em conjunto itinerários e produtos turísticos internacionais de qualidade. A DST, por dois anos consecutivos, através da ocasião da Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, convidou a indústria turística de Portugal, dos Estados Unidos da América, da Malásia, da Indonésia, da Tailândia, da região de Taiwan, entre outros, a Macau para fazerem visitas de familiarização às cidades de Guangdong integradas na Grande Baía e à cidade de Xiamen, na província de Fujian. Planeia-se organizar, no terceiro trimestre de 2018, uma delegação de operadores turísticos da Austrália e de membros do Conselho para o Desenvolvimento Turístico de Macau para visitarem a província de Guangdong. Por outro lado, a DST, durante vários anos consecutivos, em conjunto com entidades de cooperação regional, deslocou-se aos países abrangidos pela iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota” e organizou promoções conjuntas de grande escala com outros mercados de visitantes, nomeadamente Promoção Turística de Macau com Guangdong, Guangxi, Fujian e Hong Kong, na Indonésia e Malásia, em 2017, que abrange a Promoção Turística e Bolsa de Contactos entre Operadores de Macau com Guangdong, Guangxi e Fujian; organizou, em conjunto com a Comissão para o Desenvolvimento Turístico de Fujian, uma promoção de turismo multi-destinos de Fujian e Macau na Rota da Seda Marítima e um jantar, em Melbourne e Sidney, na Austrália, em Abril de 2018, a fim de impulsionar em conjunto itinerários turísticos multi-destinos e explorar mercados diversificados de visitantes. Após as actividades de promoção acima mencionadas, vários mercados de origem lançaram, sucessivamente, produtos turísticos multi-destinos de Guangdong-Macau e Fujian-Macau no mercado.

Quanto à expansão do Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade, a DST tem realizado estudos preliminares. Embora a qualificação dos serviços de guia turístico seja tecnicamente viável, o sector apresenta no entanto opiniões divididas. Enquanto faltar consenso no sector, o nível de participação dos guias e o reconhecimento dos prémios no sector também afectam o programa. Caso a implementação do programa no sector de guias turísticos apresente grandes desafios, a DST irá continuar a comunicar com os representantes do sector, a fim de obter um apoio abrangente do sector e impulsionar gradualmente a implementação do programa.

Por outro lado, a fim de promover e apoiar acções conducentes à formação ou especialização dos operadores da indústria turística (incluindo guias turísticos, sector das agências de viagens, sector hoteleiro, sector da restauração, entre outros), com vista à melhoria contínua da qualidade dos serviços, e do seu reconhecimento a nível local, regional e internacional, a DST coopera com instituições de ensino superior de Macau, indústria turística, associações do sector e instituições de formação, na organização anual de vários cursos de formação profissional, workshops e palestras, incluindo temas sobre: língua (inglês, coreano), correios de turismo, gestão de crise, técnicas de mediação e resolução de conflitos, entre outros.

No futuro, em resposta às mudanças constantes no ambiente da indústria turística, serão verificados periodicamente a implementação de cada plano de acção do projecto, conforme os mecanismos de avaliação definidos no Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, para acompanhar a meta de erguer um centro mundial de turismo e lazer.

2018-05-10 Prosseguimento do combate à prestação ilegal de alojamento

Resposta da DST sobre o prosseguimento do combate à prestação ilegal de alojamento:

De acordo com o disposto na Lei n.° 3/2010, referente à ‘‘Proibição de prestação ilegal de alojamento”, a DST continua a combater a prestação ilegal de alojamento. Para o efeito, esta Direcção de Serviços disponibiliza vários canais para recolha de denúncias dos residentes, nomeadamente, a Linha Aberta para o Turismo em funcionamento 24 horas, o sistema online para denúncias, os telefones do serviço, via email, entre outros meios. Por outro lado, outros serviços públicos também participam à DST informações referentes à prestação ilegal de alojamento que recebem. Assim que a DST toma conhecimento da prática de qualquer infracção administrativa prevista na referida lei, inicia imediatamente a investigação e verifica a fiabilidade das denúncias.

Em circunstâncias normais, a DST realiza mensalmente perto de 20 acções conjuntas para combater a prestação ilegal de alojamento. Devido à possibilidade de muitas das “pensões ilegais” envolverem práticas criminais, cada acção de fiscalização exige que a polícia envie agentes para participarem. As fiscalizações são ainda intensificadas durante os feriados da semana dourada.

Além das acções de fiscalização de rotina mencionadas, durante as operações das autoridades policiais, caso sejam detectadas quaisquer situações de prestação ilegal de alojamento, a DST é convocada para se dirigir imediatamente ao local para tomar conta do caso. Por este motivo, os inspectores desta Direcção de Serviços prestam serviço em regime de prevenção 24 horas para o combate à prestação ilegal de alojamento.

Para cada denúncia, a DST necessita de analisar de forma abrangente todos os factos de cada caso concreto, de acordo com os dispostos legais, a fim de poder fazer uma avaliação objectiva sobre se os casos envolvem ou não a prestação ilegal de alojamento. Durante o processo de averiguação, todas as análises são efectuadas de forma rigorosa, com o intuito de combater a prestação ilegal de alojamento e salvaguardar os direitos e interesses dos condóminos. E apenas após a recolha de provas suficientes é instaurado o processo sancionatório e adoptadas medidas provisórias (aposição de selo na fracção e suspensão do abastecimento de água e electricidade).

Enquanto entidade responsável pela fiscalização, a DST, continuará a exercer rigorosamente as suas funções de fiscalização em consonância com a competência conferida por lei, e reforçará a eficácia da execução da lei mediante a colaboração com outras entidades.

2018-04-24 Optimização da estrutura dos visitantes e prolongamento do tempo de estadia

Resposta da DST sobre a optimização da estrutura dos visitantes e prolongamento do tempo de estadia:

Em conformidade com a promoção de um desenvolvimento socioeconómico diversificado traçado nas linhas de acção governativa da RAEM, a DST tem-se empenhado na diversificação adequada do desenvolvimento da indústria do turismo, enfatizando dois pontos principais: a diversificação dos produtos turísticos e a diversificação dos mercados de visitantes. Além de colocar a diversificação turística no centro do desenvolvimento, a DST promove também o desenvolvimento de produtos turísticos de turismo de lazer, turismo cultural, turismo comunitário, turismo de festividades, turismo de compras, turismo de negócios, entre outros procurando não só atingir a meta de diversificação dos produtos turísticos, como também providenciar diferentes elementos para atrair visitantes de todo o mundo a Macau e prolongar a sua estadia na cidade.

Por outro lado, a fim de optimizar a estrutura dos visitantes e impulsionar a transformação do modelo turístico, o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau propõe a expansão do grupo de visitantes de segmento alto, incluindo: visitantes seniores, visitantes jovens, visitantes de família e visitantes com elevado poder de compra, através de novas estratégias de promoção, em combinação com a aplicação das tecnologias de turismo inteligente, enriquecer as experiências dos visitantes para alcançar o objectivo de transformar a imagem de Macau como destino turístico de vários dias.

2018-04-20 Empenho na promoção do desenvolvimento diversificado do mercado de visitantes e optimização do ambiente turístico

Resposta da DST sobre o empenho na promoção do desenvolvimento diversificado do mercado de visitantes e optimização do ambiente turístico:

A DST empenha-se na promoção do desenvolvimento diversificado do mercado de visitantes, a fim de elevar a qualidade da indústria turística. Números de anos anteriores mostram que a proporção dos visitantes que não pernoitaram na cidade é mais elevada, com os visitantes que não pernoitaram na cidade a representarem 53,4 por cento do total de visitantes em 2015. No entanto, com a optimização constante das instalações turísticas, em combinação com a diversidade de eventos e festividades, em 2016 o número de visitantes que pernoitaram na cidade ultrapassou pela primeira vez o número de visitantes que não pernoitaram, representando 50,7 por cento do total de visitantes, e em 2017 a proporção de visitantes que pernoitaram na cidade aumentou para 52,9 por cento, registando o ponto mais alto dos últimos 10 anos. Em 2017, o número de visitantes internacionais registado foi também o mais alto nos últimos anos com 3,18 milhões de entradas.

A fim de promover o desenvolvimento do turismo a um patamar mais elevado, o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau propõe entre os objectivos traçados, expandir o grupo de visitantes de segmento alto, incluindo: visitantes seniores, jovens, famílias e visitantes com elevado poder de compra. Ao mesmo tempo, sugere estratégias de promoção relacionadas, como: fortalecer a imagem de marca de Macau como um destino turístico de estadia de vários dias, através de uma ampla promoção e dum reforço da divulgação internacional, destacar as actuais atracções de Macau e as novas experiências de turismo, reforçar a promoção online do turismo da cidade, alargando a base de contacto com os mercados de visitantes, entre outros.

Tendo em conta as previsões das organizações internacionais de turismo para o crescimento do turismo a nível mundial e na Ásia-Pacífico, a avaliação dos mercados de visitantes de Macau, as estimativas para o crescimento económico futuro, a par com a capacidade de acolhimento global de visitantes, entre outros factores, o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau prevê que o número de visitantes continuará a ter um crescimento moderado no futuro. Face ao crescimento do número de visitantes previsto, a DST irá continuar a lançar eventos festivos para atrair uma maior distribuição de visitantes a Macau em diferentes épocas do ano, permitindo dispersar os períodos de pico do turismo, para elevar a capacidade de recepção turística de Macau.

Por outro lado, através de organização de várias actividades turísticas em diferentes zonas de Macau, tais como a promoção do turismo comunitário e do turismo inteligente, a DST continuará a incentivar os visitantes a explorar as diferentes zonas da cidade. No futuro, com o avançar do desenvolvimento dos novos aterros, das zonas marinhas, bem como da renovação das zonas urbanas com potencial de desenvolvimento, os residentes e visitantes terão mais espaço de turismo e cultura, promovendo um desenvolvimento equilibrado entre as diversas zonas da cidade.

A DST continuará a executar os objectivos traçados nas Linhas de Acção Governativa, de promover o desenvolvimento estável e sustentável da indústria do turismo, movendo esforços para alcançar o objectivo de transformar Macau num centro mundial de turismo e lazer.

2018-04-07 Expansão do Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade a outros sectores relacionados com o turismo

Resposta da DST sobre a expansão do Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade a outros sectores relacionados com o turismo:

O Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade, lançado em 2014, tem como objectivo melhorar a qualidade dos serviços prestados no turismo e nas indústrias relacionadas com o sector, e divulgar o seu compromisso para com o desenvolvimento da qualidade dos serviços, para incentivar e apoiar os operadores do sector a elevar a qualidade de serviços, em conformidade com o objectivo de posicionar Macau como um centro mundial de turismo e lazer. O programa começou por ter como alvo o sector da restauração, e após a sua implementação com sucesso durante dois anos, em 2016, a DST incluiu também o sector de agências de viagens. Macau conta actualmente com 232 empresas de restauração e 37 agências de viagens premiadas com o Prémio Empresa de Qualidade.

O Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade é um programa de avaliação contínua de serviços. Antes de abarcar no programa um novo sector de serviços prestados no turismo, são realizados uma série de trabalhos de estudo preliminares, incluindo a consulta de programas semelhantes em outros países e territórios, bem como a recolha de opiniões junto das associações do sector e a realização de questionário, entre outros. Os critérios de avaliação e os procedimentos de acreditação são definidos mediante uma ponderação dos diferentes pontos de vista. Neste sentido, a DST já deu início no ano passado à realização e um estudo da viabilidade para estender o programa ao sector de venda a retalho, tendo sido realizadas reuniões de trabalho com o Conselho de Consumidores para discutir o projecto de cooperação em concreto. O projecto prossegue com um andamento positivo, aguardando-se neste momento que os dois lados concretizem os pormenores técnicos.

No que diz respeito ao sector dos guias turísticos, a DST também realizou estudos preliminares. Embora a qualificação dos serviços de guia turístico seja tecnicamente viável, o sector apresenta no entanto opiniões divididas. Enquanto faltar consenso no sector, o nível de participação dos guias e o reconhecimento dos prémios no sector também afectam o programa. Caso a implementação do programa no sector de guias turísticos apresente grandes desafios, a DST irá continuar a comunicar com os representantes do sector, a fim de obter um apoio abrangente do sector e impulsionar gradualmente a implementação do programa.

Por outro lado, a fim de promover e apoiar acções conducentes à formação ou especialização de operadores da indústria do turismo, com vista à melhoria contínua da qualidade dos serviços, e do seu reconhecimento a nível local, regional e internacional, a DST tem organizado também cursos de formação e de qualificação profissional destinados às empresas premiadas no Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade, visando incentivar a elevação contínua da qualidade dos serviços.

上一頁 01   02   03   下一頁
Página
Actualizada: 04/12/2018