Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

Resposta às opiniões públicas


Data Assuntos do Turismo
2018-04-07 Aproveitamento das oportunidades de cooperação turística trazidas pela Grande Baía Guangdong – Hong Kong – Macau para reforço da diversificação dos produtos e experiências de turismo

Resposta da DST sobre o aproveitamento das oportunidades de cooperação turística trazidas pela Grande Baía Guangdong – Hong Kong – Macau para reforço da diversificação dos produtos e experiências de turismo:

Em articulação com os trabalhos de construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, com base nas boas relações de cooperação estabelecidas ao longo dos anos com as cidades do Delta do Rio das Pérolas, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) tem alargado o âmbito de cooperação às cidades da Zona de Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, com vista a acelerar a integração da indústria turística e alcançar uma complementaridade de recursos. Em simultâneo, o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau apresentou diversas sugestões para o desenvolvimento conjunto de produtos turísticos, incluindo: explorar em conjunto com cidades vizinhas um turismo de ilhas, através do desenvolvimento abrangente de produtos de turismo marítimo, transformar Macau numa cidade central num contexto de turismo multi-destinos de curta distância do Delta do Rio das Pérolas; reforçar a cooperação com o Governo do Interior da China, acelerar o desenvolvimento do turismo em barcos de recreio, expandir o número de cidades abrangidas nas “viagens em barcos de recreio com visto individual”; desenvolver projectos existentes ou futuros com potencial no âmbito de cidades geminadas, como actividades de intercâmbio desportivo, de turismo temático, entre outras. Através da criação de uma marca turística regional, promover produtos turísticos de itinerários multi-destinos da Grande Baía, atraindo mais visitantes do Interior da China e do exterior para Macau e cidades vizinhas e prolongando o seu tempo de estadia na região.

Numa iniciativa da Administração do Turismo de Guangdong, da Comissão para o Turismo do Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong, e da DST, a Federação Turística da Região Metropolitana da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau foi estabelecida em Dezembro de 2017, constituída por um grupo inovador de cooperação de turismo integrado. A federação é composta pelas autoridades de turismo de nove cidades da Grande Baía da Província de Guangdong, nomeadamente, Guangzhou, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen e Zhaoqing, e das duas Regiões Administrativas Especiais de Hong Kong e Macau. Na altura do seu estabelecimento, foi aprovado o “Regulamento da Federação Turística da Região Metropolitana da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau”, e foi assinado o “Acordo-Quadro para o Reforço da Cooperação Guangdong-Hong Kong-Macau e Promoção da Construção da Grande Baía”, com vista a erguer em conjunto uma área com uma qualidade de vida elevada e que ofereça boas condições para viver, trabalhar e viajar. Com base no conceito de “Cooperação e desenvolvimento, criação de uma marca em conjunto e partilha de mercados”, a federação promoverá a interacção e cooperação entre os membros através da integração de recursos, da promoção de imagem e marketing conjunta, entre outras, bem como impulsionará a troca de visitas e colaboração entre os membros, construindo em conjunto destinos turísticos de nível mundial. A criação da federação consolidará ainda mais os contactos e intercâmbios de turismo das três regiões e ajudará a estabelecer uma imagem comum de turismo a nível internacional e a criar uma nova referência de nível mundial do turismo regional da Baía, desempenhando um papel importante para a promoção do desenvolvimento da indústria do turismo da região de Guangdong, Hong Kong, Macau e até da China.

2018-04-06 DST impulsiona de forma gradual uma série de trabalhos para erguer Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia

Resposta da DST sobre o impulso de uma série de trabalhos para erguer Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia:

Para coordenar os preparativos para a candidatura de Macau a membro da Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área de Gastronomia, o Governo da RAEM criou, em Julho de 2016, a Comissão de Trabalho para a Candidatura de Macau, China à Rede de Cidades Criativas da UNESCO (Comissão para a Candidatura de Macau), liderada pelo Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, com representantes de diferentes serviços públicos, instituições académicas, associações e organizações da indústria de restauração. A Comissão para a Candidatura de Macau concretizou uma ampla cooperação e um uso eficaz de recursos de vários sectores, realizou discussões e estudos sobre a viabilidade de diversos planos, políticas e medidas relacionadas, para impulsionar a transmissão, criatividade e intercâmbio da gastronomia de Macau, encorajando a participação activa e a apresentação de opiniões de várias partes. Ao mesmo tempo, tomou como referência as experiências de outras regiões para erguer uma Cidade Criativa de Gastronomia, promovendo a optimização dos equipamentos e infra-estruturas necessárias para uma Cidade Criativa de Gastronomia, alcançando com sucesso a designação de Macau como cidade membro da Rede das Cidades Criativas da UNESCO na área da Gastronomia.

A iniciativa de “2018 Ano da Gastronomia de Macau” é uma parte importante do plano de trabalho de quatro anos como Cidade Criativa de Gastronomia. A fim de desenvolver um trabalho, de forma favorável e ordenada, todos os membros da antiga Comissão para a Candidatura de Macau, a par com novos especialistas e representantes realizaram, no dia 30 de Janeiro de 2018, a primeira reunião de trabalho sobre Macau como Cidade Criativa de Gastronomia. Na reunião, os representantes discutiram e trocaram opiniões sobre alguns dos aspectos actuais e desenvolvimentos futuros sobre o sector da restauração, tendo a DST convidado os representantes a usarem os diferentes canais ao dispor para contribuírem com as suas opiniões, num esforço conjunto para o desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia.

Desde o início dos trabalhos de candidatura até ao sucesso da designação como Cidade Criativa de Gastronomia, bem como para todo o processo de desenvolvimento relacionado que se segue, o Governo da RAEM tem mantido relações de estreita cooperação com o sector de restauração, profissionais e académicos de relevo, entre outros, reunindo opiniões de várias partes para definir planos concretos de trabalho, a fim de obter um efeito sinérgico.

Ao mesmo tempo, no âmbito de um outro dos destaques do plano de trabalho de quatro anos para erguer Macau como uma Cidade Criativa de Gastronomia, a DST, o Instituto Cultural, o Instituto de Formação Turística e a Confraria da Gastronomia Macaense realizaram, no dia 15 de Março deste ano, a primeira reunião para discutir os preparativos para criar uma base de dados sobre gastronomia macaense.

Por outro lado, em sintonia com o desenvolvimento de Macau como Cidade Criativa de Gastronomia, a DST planeia criar roteiros gastronómicos tendo como base os oito roteiros turísticos “Sentir Macau passo-a-passo”. Actualmente, estão a ser recolhidas informações sobre os estabelecimentos de restauração ao longo dos roteiros, incluindo o horário de funcionamento, menu, distribuição por zonas, entre outras, através do apoio da União das Associações dos Proprietários de Estabelecimentos de Restauração e Bebidas de Macau, da União Geral das Associações dos Moradores de Macau, da Associação Industrial e Comercial da Zona Norte de Macau, da Federação da Indústria e Comércio de Macau Centro e Sul Distritos e da Federação Industrial e Comercial das Ilhas de Macau. A DST irá analisar e organizar os dados relevantes, com o intuito de divulgar e promover a gastronomia de Macau, e atrair visitantes e residentes a visitarem e degustarem a comida típica nas várias zonas da cidade. Uma vez lançados os percursos gastronómicos subordinados aos roteiros “Sentir Macau passo-a-passo”, as informações sobre os estabelecimentos de restauração relacionados serão actualizadas periodicamente, para que os visitantes tenham as informações mais recentes.

2018-04-05 Sobre a criação de uma plataforma de partilha de informações turísticas

Resposta da DST a opiniões de individualidades da sociedade referentes à criação de uma plataforma de partilha de informações turísticas:

Em sintonia com o rápido desenvolvimento das tecnologias de informação e da sua aplicação cada vez mais ampla à indústria turística, o Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau fez análises e estudos específicos sobre a aplicação de tecnologias inovadoras na indústria do turismo e propôs estratégias correspondentes. Uma das propostas de planeamento é a criação de uma plataforma de partilha de informações turísticas. Esta plataforma permitirá criar um canal para receber, guardar e publicar conteúdos turísticos, incluindo partilha de informações sobre entretenimento, atracções turísticas, alojamento, restauração, venda a retalho, transportes, estatísticas de turismo, comportamento dos visitantes, entre outros dados. Com a criação da plataforma, além dos dados poderem vir a ser compartilhados pela indústria turística, as empresas de tecnologia e informática, e investigadores de informática também poderão tirar partido das informações da plataforma para inovar no desenvolvimento de várias ferramentas de informação turística, como páginas electrónicas e aplicações para telemóveis, entre outros. Através da plataforma de partilha de informações turísticas, a DST pretende apoiar a indústria do turismo na aplicação e desenvolvimento de tecnologias inovadoras, a expandir as capacidades da indústria do turismo e impulsionar o recurso ao turismo inteligente, com vista a alcançar um desenvolvimento sustentável do turismo local.

2018-04-03 Aperfeiçoamento contínuo dos trabalhos de divulgação dos dados estatísticos de turismo de Macau

Resposta da DST sobre o aperfeiçoamento contínuo dos trabalhos de divulgação dos dados estatísticos de turismo de Macau:

Em articulação com o rumo de desenvolvimento do governo electrónico da RAEM e a transparência de informações, a DST lançou em 2015 a Macao Tourism Data plus (MTD plus), com o intuito de permitir aos utilizadores usufruírem de um serviço de pesquisa facilitado que providencie acesso às diferentes estatísticas de turismo num só local. O actual conteúdo da MTD plus inclui: dados interactivos, tabelas estatísticas do turismo, e-publicações, outras informações estatísticas de turismo, mapa dos mercados de visitantes e vídeo sobre a situação da indústria do turismo. A DST tem aperfeiçoado continuamente a MTD plus desde o seu lançamento, adicionando versões em português e chinês simplificado, em 2016 e 2017, respectivamente, e serviço de assinatura, entre outras funções. No futuro será considerada a adição de mais funções e informações para elevar a abrangência e utilidade da MTD plus. Este ano, a DST planeia disponibilizar, na MTD plus, o número de entradas de visitantes durante o Festival da Primavera e durante a semana dourada pelo 1 de Outubro, para a consulta dos utilizadores.

Para possibilitar aos vários sectores da sociedade um melhor domínio e análise de informações detalhadas sobre os visitantes de Macau, a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) lançou a Base de Dados Estatísticos dos Visitantes, em Setembro do ano passado, disponibilizando dados sobre os visitantes que entraram em Macau, a partir de Janeiro de 2017, para consulta do público. A Base de Dados Estatísticos dos Visitantes, além de incluir dados estatísticos dos visitantes segundo o ano, o mês, o local de emissão do documento de viagem, e posto fronteiriço de entrada, divulgados periodicamente pela DSEC, inclui também dados estatísticos de visitantes segundo a data de entrada, o sexo e o grupo etário. A base de dados também fornece estatísticas sobre locais específicos, como dados dos visitantes provenientes dos países de “Uma Faixa, Uma Rota” e dos países de língua portuguesa. Por outro lado, a DSEC divulga pela primeira vez na base de dados informações sobre “visitantes recorrentes”, com dados referentes aos visitantes individuais que entraram em Macau duas ou mais vezes, tomando como referência os últimos 6 a 36 meses. Além disso, a DSEC divulgou, pela primeira vez, em 2016, o “Relatório da Análise – Sistema de Indicadores Estatísticos para o Desenvolvimento da Diversificação Adequada da Economia de Macau – 2015”, para mediante uma abordagem multi-vertente aferir a situação do desenvolvimento da diversificação da economia de Macau. O relatório de análise enunciou indicadores estatísticos de relevo relacionados, que reflectem a situação da diversificação em oito vertentes: (1) diversificação da estrutura sectorial; (2) diversificação das actividades do jogo; (3) diversificação das actividades das concessionárias de exploração dos jogos de fortuna ou azar; (4) diversificação dos mercados de visitantes; (5) diversificação das indústrias conexas ao sector do jogo e turismo; (6) diversificação das indústrias emergentes; (7) diversificação da exploração do espaço de desenvolvimento das empresas e dos residentes de Macau, através da cooperação externa e regional, e (8) diversificação do emprego da população de Macau.

Em simultâneo, no Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, divulgado no ano passado, um dos principais objectivos e estratégias é a aplicação de tecnologias inovadoras na indústria do turismo. No plano é proposta a criação de uma plataforma de partilha de informações turísticas, que providencie um canal para que as partes interessadas da indústria possam partilhar, receber, guardar e publicar conteúdos turísticos, bem como integrar as informações turísticas e assegurar a consistência do uso de dados, apoiando a indústria do turismo a aplicar e desenvolver tecnologias inovadoras, expandindo a capacidade da indústria do turismo e impulsionando a aplicação do turismo inteligente. A DST está empenhada nos trabalhos para a criação da plataforma de partilha de informações turísticas, que será divulgado ao exterior assim que a plataforma for concretizada e implementada.

2018-03-28 Resposta sobre o estabelecimento de um padrão de qualidade de serviços para a indústria do turismo, para incentivar e apoiar os operadores do sector a elevar a qualidade de serviços

Resposta da DST sobre o estabelecimento de um padrão de qualidade de serviços para a indústria do turismo, para incentivar e apoiar os operadores do sector a elevar a qualidade de serviços:

A DST lançou o Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade em 2014 com o objectivo de estabelecer um padrão de qualidade de serviços para a indústria do turismo, para incentivar e apoiar os operadores do sector a elevar a qualidade de serviços, bem como para reconhecer o trabalho das empresas que disponibilizam serviços de excelência e que implementam uma gestão de serviços de qualidade, em conformidade com o objectivo de posicionar Macau como um centro mundial de turismo e lazer. Macau conta actualmente com 232 empresas de restauração e 37 agências de viagens premiadas com o Prémio Empresa de Qualidade. A lista das empresas premiadas está disponível no Guia de Restaurantes e Estabelecimentos de Comida – Prémio Empresa de Qualidade e no Guia do Sector das Agências de Viagens – Prémio Empresa de Qualidade, disponíveis para levantamento do público nos balcões de Informações Turísticas da DST. A página electrónica da DST www.macaotourism.gov.mo também disponibiliza informações sobre as empresas premiadas.

O conteúdo do Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade foi concebido após consulta de programas semelhantes em outros países e territórios, bem como de opiniões recolhidas junto das associações do sector e de questionários realizados junto de visitantes. Mediante um equilíbrio encontrado com a consolidação dos pontos de vista das partes envolvidas, foram definidos os critérios de avaliação e formulados os procedimentos de acreditação. Para os critérios de avaliação dos sectores da restauração e agências de viagens foram ainda criadas várias orientações práticas. As empresas participantes uma vez cumprido o conjunto de exigências, poderão elevar a qualidade dos seus serviços, com base no padrão de qualidade de serviços, e receber um prémio.

Além de fornecer modelos internacionais de aplicação prática aos operadores através do programa, a DST também passou a organizar a partir de 2014 cursos de formação e de qualificação profissional destinados às empresas que participaram no programa e às empresas premiadas, visando incentivar a elevação da qualidade dos serviços, como: “Workshop sobre a Psicologia de Serviço ao Cliente”, “Workshop sobre Como Lidar com Clientes Muito Exigentes”, “Curso de Serviços de Restauração e Hospidalidade aos Clientes - Qualificação Internacional City & Guilds”, “Curso de Gestão de Conflitos - Qualificação Internacional City & Guilds”, cursos de línguas (inglês e coreano), “Workshop para Equipas de Atendimento em Agências de Viagem - Correios de Turismo”, entre outros, para os trabalhadores da linha da frente, registando um grande número de inscrições.

Além disso, a DST mantém em cada ano um contacto próximo com a indústria turística, permitindo deste modo obter um conhecimento atempado das necessidades de formação desta, bem como coopera com instituições do ensino superior, indústria turística, associações do sector e instituições de formação de Macau, para organizar diversas formações, workshops e palestras profissionais, destinados à resolução de problemas da indústria, empenhando-se em elevar a qualidade dos serviços do sector do turismo de Macau e consolidar a imagem de Macau como uma cidade turística internacional.

2018-03-20 Resposta sobre roteiro turístico na zona norte, sua divulgação e promoção

Resposta da DST sobre roteiro turístico na zona norte, sua divulgação e promoção:

O roteiro “Histórias de Encanto da Freguesia de Nossa Senhora de Fátima”, incluído nos oito roteiros turísticos “Sentir Macau passo-a-passo” lançados pela DST, apresenta a zona norte da cidade, levando os visitantes num percurso, que começa nas Portas do Cerco, passa pelo Jardim Triangular, e inclui vários pontos turísticos famosos, como o Templo de Lin Fong, o Museu Memorial Lin Zexu de Macau, o Forte de Mong-Há, entre outros. Ao mesmo tempo, o roteiro divulga os estabelecimentos de restauração e os pontos para fazer compras ao longo do percurso, bem como providencia informações relativas aos transportes e às instalações públicas, com vista a incentivar os visitantes a deslocarem-se a essas zonas.

Por outro lado, a DST tem continuado a promover o desenvolvimento do turismo na zona norte. Nos últimos anos, tem vindo a apoiar as associações de Macau a organizar várias actividades temáticas no âmbito do “Turismo Comunitário” e da “Campanha de Sensibilização para o Turismo” na zona norte. Recorrendo a formas promocionais inovadoras e de divulgação através das plataformas na internet, foram convidados líderes de opinião das redes sociais e produzidas curtas-metragens, com destaque para a promoção dos recursos e características do turismo da zona norte.

Ao nível da divulgação e da promoção, através de fotografias, textos e mapas numa secção dedicada, o Guia de Macau, publicado pela DST, apresentam de forma detalhada a zona norte, nomeadamente, as Portas do Cerco, o Jardim Dr. Sun Yat Sen, o Templo de Lin Fong, o Museu Memorial Lin Zexu de Macau, a Colina de Mong-Há/Parque Municipal da Colina de Mong Há, entre outros pontos turísticos. Materiais promocionais relacionados e o guia estão disponíveis nos balcões de Informações Turísticas sob a alçada da DST e nos principais hotéis de Macau, e são também enviados exemplares às várias representações da DST no exterior para distribuição no estrangeiro e nas feiras de turismo realizadas no exterior, entre outros eventos.

Em sintonia com as iniciativas promocionais de “2018 Ano da Gastronomia de Macau”, a DST planeia colaborar com líderes de opinião das redes sociais da gastronomia local, para apresentar a cultura e as histórias da culinária de Macau, entre outros aspectos, através do WeChat, do Weibo, do Instagram, entre outros canais, tomando a zona norte como principal local de apresentação. Para já serão recolhidas informações sobre restauração e gastronomia da zona norte, com o lançamento dos trabalhos de promoção previsto para o início de Abril.

Além da forte divulgação dos pontos turísticos e da gastronomia da zona norte, a DST também participa activamente no grupo de trabalho da economia comunitária da “zona norte”, sob a alçada do Conselho para o Desenvolvimento Económico do Governo da RAEM, para cooperar com a indústria, as organizações comunitárias e os serviços públicos, num desenvolvimento conjunto do encanto do turismo comunitário da zona norte e na promoção do desenvolvimento económico desta zona.

2018-03-19 Resposta a opiniões da sociedade sobre preocupações com o desenvolvimento do turismo inteligente

Resposta da DST a opiniões da sociedade que reflectem uma preocupação em relação ao desenvolvimento do turismo inteligente:

O Governo da Região Administrativa Especial de Macau está a promover o desenvolvimento da construção de uma cidade inteligente. Para uma cidade de turismo como Macau, o turismo inteligente é uma parte importante no desenvolvimento de uma cidade inteligente. No Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau concluído em 2017, a DST definiu várias estratégias de desenvolvimento para o turismo inteligente, nomeadamente: utilizar tecnologias inovadoras para promover o destino nos mercados no exterior, criar páginas electrónicas interactivas e aplicações para telemóveis através de técnicas inovadoras; criar uma plataforma para recolha de informações e uma base de dados de apoio à indústria do turismo; utilizar tecnologia de segurança inteligente para reforçar o sistema de segurança de viagens, reforçar a gestão da capacidade de acolhimento turístico, permitindo aos visitantes saber a situação actualizada dos locais turísticos mais visitados, proporcionando melhores experiências de viagem aos visitantes.

A DST tem lançado várias iniciativas na área do turismo inteligente destinadas aos residentes e visitantes, como por exemplo: aplicações para telemóveis, ecrãs interactivos de informações, entre outros. Com a tendência crescente para a utilização de tecnologias electrónicas, a DST reformulará expeditamente a direcção do desenvolvimento ao nível do turismo inteligente, estudará as tecnologias mais recentes que possam ser aplicadas ao sector do turismo para promover um desenvolvimento sustentável da indústria turística de Macau.

2018-03-19 Resposta sobre a regulação de preços de quartos de hotéis, a situação de oferta e procura de alojamento ilegal e de alojamento de turismo

Resposta da DST a opiniões da sociedade referentes à regulação de preços de quartos de hotéis, à situação de oferta e procura de alojamento ilegal e alojamento de turismo:

No referente à fixação de preços de quartos de hotéis, de notar que os quartos podem ser vendidos através de diferentes meios, incluindo pelo próprio hotel, agências de viagens locais e no exterior, portais de reservas de quarto online, entre outros. No caso das agências de viagens e portais de reservas de quarto online do exterior, a legislação de Macau não regula as suas actividades comerciais. Quanto ao modo de operação dos hotéis, em geral, nas épocas baixas e nas reservas antecipadas são praticados preços mais reduzidos. Ao mesmo tempo, os quartos dos hotéis estão divididos em diferentes categorias. Os quartos de categoria regular em regra são mais baratos, enquanto os restantes quartos de categoria mais altas têm um preço comparativamente mais elevado. Por outro lado, as agências de viagens e portais de reservas de quarto online, de um modo geral, adquirem previamente grande quantidade de quartos de hotéis para diferentes períodos, permitindo-lhes vender os quartos por preços mais elevados nas épocas altas, podendo também sofrer prejuízos nas épocas baixas. A definição de preços envolve vários factores, sendo que a flutuação dos preços de quartos de hotéis varia conforme a situação da oferta e da procura, não sendo um fenómeno exclusivo de Macau, mas de todo o mundo.

Desde a entrada em vigor da lei de “Proibição de prestação ilegal de alojamento”, no dia 13 de Agosto de 2010, até à data, enquanto entidade fiscalizadora, a DST coopera de forma estreita com grupos de trabalho interdepartamentais, prosseguindo com acções de fiscalização e combates. A apresentação de queixas e denúncias são canais importantes para a recolha de informações sobre a prestação ilegal de alojamento. As denúncias detalhadas e válidas conseguem contribuir para a eficácia dos trabalhos de combate. A DST disponibiliza vários canais para facilitar as denúncias dos residentes, nomeadamente, através da linha aberta de denúncia em funcionamento 24 horas, do sistema online para denúncias, via email ou carta, entre outros meios. Os residentes também podem, durante o horário de expediente, deslocar-se pessoalmente à DST para apresentação de denúncias. Ao mesmo tempo, a DST mantém comunicação com organizações de moradores e associações, para auscultar opiniões, conhecer a situação concreta da actividade de prestação de alojamemto ilegal, conseguindo, assim, ajustar procedimentos na execução de lei. Por outro lado, esta Direcção de Serviços continua a proceder com os trabalhos de divulgação e sensibilização da lei n.° 3/2010, colocando cartazes e distribuindo panfletos informativos nos pontos críticos de prestação de alojamemto ilegal e nos edíficios em zonas vizinhas, para sensibilizar os proprietários para a necessidade de terem cuidado para evitar que as suas propriedades sejam usadas para a prática de prestação de alojamento ilegal, bem como para alertar os visitantes para a importância de se alojarem em estabelecimentos hoteleiros licenciados.

Para reprimir com eficácia a situação de prestação de alojamemto ilegal, a DST atribui recursos humanos para garantir a frequência das acções de fiscalização. Além de realizar fiscalizações na sequência de avisos dos serviços de polícia, estes serviços realizam também acções de fiscalização de rotina, numa média de três a quatro por semana. A DST tem combatido activamente a prestação ilegal de alojamento, mas ao mesmo tempo tem em conta a necessidade de tranquilidade dos residentes, procurando alcançar um equilíbrio entre a eficicácia de execução da lei e a manutenção da tranquilidade nas comunidades.

Segundo dados da Direcção dos Serviços de Solo, Obras Públicas e Transportes, encontram-se actualmente em construção 26 estabelecimentos hoteleiros. Com o intuito de reforçar a construção das instalações turísticas complementares, a DST colabora com os operadores da indústria turística, e através de medidas de aperfeiçoamento dos serviços e dos recursos humanos, procura garantir que os trabalhos de atribuição de licenças ocorram sem sobressaltos na véspera de inauguração de novos hotéis. A fim de acelerar a oferta de quartos de estabelecimentos hoteleiros de diferentes categorias, de impulsionar o desenvolvimento diversificado da indústria hoteleira local, a DST criou um grupo de trabalho especializado de estabelecimentos de alojamento económico, para prestar colaboração no processo de licenciamento, dando prioridade ao tratamento de pedidos de licenciamento de estabelecimento de alojamento económico. Entretanto, para melhorar o regime jurídico do sector do turismo e corresponder às necessidades do desenvolvimento turístico, a DST está a acompanhar de perto o trabalho de revisão da proposta de lei que regula o licenciamento e funcionamento dos hotéis e dos seus estabelecimentos de restauração.

2018-03-09 Opiniões da sociedade sobre o reforço das políticas de apoio às lojas antigas (incluindo estabelecimentos de comidas) e preservação da marca

Face ao rápido desenvolvimento social de Macau e à diversificação crescente da cultura alimentar, entre outros factores, os estabelecimentos de comidas e pequenas lojas com características tradicionais e típicas de Macau enfrentam o desafio da sucessão e sobrevivência, pelo que, como ajudar estes estabelecimentos tradicionais e pequenas lojas típicas, sob o novo ambiente comercial e a mudança dos tempos e das modas, a resistir e continuar o seu desenvolvimento sustentável, pelo que esta é uma questão que preocupa o Governo da RAEM.

Para incentivar o empreendedorismo e inovação dos jovens de Macau, bem como encontrar as oportunidades comerciais dos sectores de Macau, a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, a Direcção dos Serviços de Economia e a Comissão Preparatória de Formação de Empreendedorismo e Criatividade da Juventude organizaram, em conjunto, o “Plano de Formação de Empreendedorismo e Criatividade da Juventude”, que se divide em três fases, a saber: “Construção do Sonho pelos Jovens e Alunos”, “Crescimento dos Jovens e Alunos” e “Concretização do Sonho pelos Jovens e Alunos”, para através da teoria e da prática, da divisão em fases e por níveis e de forma simples, formar nos formandos o pensamento inovador, bem como o ensino e prática da capacidade de empreendedorismo. No curso da “Construção do Sonho pelos Jovens e Alunos” foram apresentados o ambiente de empreendedorismo em Macau e as oportunidades de diferentes sectores, bem como foram abordadas as questões de sucessão e desenvolvimento da gastronomia tradicional e típica de Macau. Este ano o plano de formação será reforçado, no âmbito do ambiente de empreendedorismo em Macau, e contemplará, com prioridade, os conhecimentos e oportunidades dos estabelecimentos e pequenas lojas de comidas tradicionais com características próprias de Macau, aumentando nos jovens de Macau o conhecimento das iguarias locais, de modo a incentivar mais jovens a ingressarem nesta área, permitindo a preservação da técnica da culinária tradicional local e, ao mesmo tempo, com o pensamento criativo e inovador dos jovens, introduzir novos elementos na gastronomia tradicional, com vista a inserir nova vida na exploração dos estabelecimentos de comidas tradicionais e típicas.

Para além disso, o Fundo das Indústrias Culturais (FIC) tem vindo a encorajar os sectores profissionais culturais e industriais a desenvolverem e promoverem projectos comerciais gastronómicos, aproveitando a criatividade para o lançamento de programas de vídeos curtos na Internet sobre a gastronomia de Macau, introduzindo, conteúdos gastronómicos de Macau nos temas dos filmes, programas televisivos, animação e banda desenha, assim como o design de produtos gastronómicos, apresentando as suas origens e histórias. No corrente ano, o FIC irá lançar programas específicos de apoio financeiro destinados aos estabelecimentos de restauração com características comunitárias, por forma a impulsionar as equipas das empresas das indústrias culturais a fazerem uso dos elementos culturais e criativos para a apresentação da cultura e tradição dos bairros comunitários, construindo marcas de produtos culturais e criativos que revelem as características comunitárias.

2018-03-05 Resposta dos Serviços de Turismo em relação à situação da capacidade de acolhimento turístico nos feriados durante festividades

Resposta da DST a opiniões da sociedade referentes à situação da capacidade de acolhimento turístico nos feriados durante festividades:

O turismo é uma das indústrias pilares de Macau, por isso os visitantes são bem-vindos pelo Governo da RAEM para visitarem a cidade. Em simultâneo, o governo está atento à necessidade de conjugar o desenvolvimento do turismo com a manutenção da qualidade de vida da população, esperando conseguir encontrar um ponto de equilíbrio.

Nos feriados durante as festividades, além de disponibilizar uma linha aberta 24 horas, proporcionando serviços de informação e assistência aos visitantes, tendo em atenção o período pico de entradas de visitantes, nas semanas douradas pelo Ano Novo Lunar e pelo dia 1 de Outubro, a DST activa o Sistema de Troca de Informações com a Administração do Turismo de Guangdong, disponibilizando o número de visitantes registado nos postos fronteiriços na sua página electrónica, no sentido de permitir aos visitantes um melhor planeamento das suas viagens a Macau. Tendo ainda em conta os feriados das semanas douradas, a DST divulga também com antecedência uma nota de imprensa, para que o público e visitantes obtenham de antemão informações turísticas relacionadas; lança o Guia de Estabelecimentos de Restauração e Bebidas de Macau para facilitar aos visitantes o acesso a informações sobre horários e estabelecimentos abertos neste período; envia mensagens por telemóvel aos visitantes do Interior da China que cheguem a Macau, para que saibam a situação do fluxo de visitantes nos principais pontos turísticos; promove os roteiros turísticos “Sentir Macau passo-a-passo” e a respectiva aplicação para telemóveis, encorajando os visitantes a percorrer as zonas comunitárias da cidade, dispersando o fluxo de visitantes dos pontos mais procurados e fomentando o desenvolvimento do turismo comunitário; é também destacado pessoal em dez pontos de atracção turística de Macau, para fornecer informações turísticas e indicações, ajudando a dividir o fluxo de visitantes.

Além disso, a DST realiza eventos festivos em diferentes zonas da cidade, para equilibrar as necessidades dos visitantes e residentes. Este ano, as actividades comemorativas durante o Ano Novo Lunar incluíram: o desfile do dragão gigante dourado e leões, a parada de celebração, no âmbito da qual houve espectáculos em pontos fixos apresentados por grupos estrangeiros e exibição de carros alegóricos em vários locais de Macau, Taipa e Coloane. Nos últimos anos, a DST tem vindo a desenvolver diferentes produtos turísticos através de ideias inovadoras, procurando proporcionar aos visitantes uma experiência turística diversificada, expandir as fontes de visitantes, elevando ao mesmo tempo a imagem de Macau como cidade internacional de turismo. A Parada de Celebração do Ano Novo Lunar, recentemente organizada, já se tornou num dos eventos festivos emblemáticos de Macau.

上一頁 01   02   03   下一頁
Página
Actualizada: 04/05/2018