Home | | Opiniões ou Questões | Contacte-nos | Intranet | Email Login
Font size A | A | A

 Nota de Imprensa Imprimir



2020 -01 -15 [Voltar]
Conferência Anual de Imprensa da DST: Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau será revisto, turismo inteligente, Cidade Criativa de Gastronomia e desenvolvimento turístico da Grande Baía serão impulsionados


Conferência Anual de Imprensa da DST

Dirigentes da DST apresentam plano de trabalho para este ano

A Direcção dos Serviços de Turismo (DST) referiu durante a sua Conferência Anual de Imprensa decorrida hoje (dia 15) que, de acordo com dados preliminares, Macau recebeu em 2019 mais de 39,4 milhões de visitantes, registando um aumento anual de 10,1 por cento. Ao mesmo tempo, os visitantes que pernoitaram na cidade e os visitantes de um só dia (excursionistas) registaram ambos aumentos. Em 2020, a DST envidará esforços para a promoção do desenvolvimento do turismo inteligente e continuará a desenvolver o modelo de turismo “multi-destinos”. O Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau será revisto, e procurar-se-á assegurar a diversidade e desenvolvimento sustentável da indústria turística de Macau, impulsionando o desenvolvimento da indústria do turismo para promover o progresso económico.

 

No encontro com a comunicação social, a DST fez um balanço da situação da indústria turística no ano passado, e a directora da DST, Maria Helena de Senna Fernandes, apresentou o plano de trabalho para este ano. Operadores turísticos e representantes da comunicação social, num total de mais de 400 pessoas participaram na ocasião, incluindo jornalistas de Macau, do Interior da China, de Hong Kong, e correspondentes para Macau.

 

Situação da indústria turística em 2019 (dados preliminares)

Em 2019, apesar de factores de instabilidade económica mundial, beneficiando da entrada em funcionamento da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, de acordo com os números preliminares do ano passado, houve um aumento tanto do número total de visitantes, como da Grande China, a par com os visitantes que não pernoitaram e os que pernoitaram, entre outros dados turísticos.

 

Macau registou em 2019 um aumento de 10,1 por cento do número total de visitantes, em comparação com 2018, totalizando mais de 39,4 milhões de visitantes. Do mercado da Grande China vieram mais de 36,3 milhões de visitantes, num aumento de 11,3 por cento. O número de visitantes internacionais registou mais de 3 milhões de entradas, numa descida de 2,8 por cento.

 

O Interior da China, Hong Kong e a região de Taiwan continuam a ser os três principais mercados de visitantes para Macau, tendo todos registado crescimento. No ano passado, mais de 27 milhões de visitantes do Interior da China estiveram em Macau, num aumento de 10,5 por cento, de entre os quais, 45 por cento vieram da província de Guangdong, e mais de 13 milhões visitaram Macau com visto individual, representando 46,8 por cento do total dos visitantes do Interior da China. O mercado de Hong Kong registou uma subida de 16,2 por cento, atingindo os 7,3 milhões de visitantes, e a região de Taiwan mais de 1 milhão de visitantes, numa ligeira subida de 0,2 por cento.

 

Ao nível dos mercados de visitantes internacionais, a República da Coreia permanece no topo da lista como principal fonte de visitantes internacionais de Macau. No ano passado, mais de 740 mil visitantes coreanos vieram a Macau. Por outro lado, o mercado das Filipinas registou um crescimento de 35,6 por cento, e os Estados Unidos da América – o único mercado de longo curso entre os dez principais mercados de visitantes de Macau – marcou uma ligeira descida de um por cento.

 

Visitantes que não pernoitaram na cidade aumentaram 20 por cento

De acordo com estatísticas preliminares, o número de visitantes que pernoitaram na cidade em 2019 somou mais de 18,6 milhões, num ligeiro aumento de 0,8 por cento, representando 47,3 por cento do total de visitantes de Macau. No ano passado, verificou-se ainda um grande aumento de visitantes que não pernoitaram, representando mais de 20,7 milhões de visitantes, atingindo um crescimento de 20 por cento. O tempo médio de permanência dos visitantes que pernoitaram na cidade fixou-se nos 2,2 dias, enquanto o tempo médio de permanência dos visitantes em geral permanece nos 1,2 dias.

 

Números preliminares mostram também que no ano passado os estabelecimentos hoteleiros acolheram 13,9 milhões de hóspedes e registaram uma taxa média de ocupação de cerca de 90 por cento, mantendo ambos os níveis de 2018. No ano passado, os hotéis de três a cinco estrelas registaram um preço médio por quarto de 170,1 dólares americanos, numa subida de 1,5 por cento.

 

Macau contava, até ao final do ano passado, com 126 estabelecimentos hoteleiros, oferecendo um total de 41.148 quartos, num aumento anual de 2,6 por cento. Entre a oferta hoteleira, 55 dos estabelecimentos são de alojamento económico, providenciando 2.121 quartos.

 

Entre Janeiro e Setembro do ano passado, o total das despesas dos visitantes foi de 29,8 mil milhões de dólares americanos, numa diminuição de 2,9 por cento em relação ao período homólogo do ano anterior.

 

Retrospectiva dos trabalhos do turismo em 2019

Em 2019, a DST promoveu activamente vários trabalhos de relevo, incluindo a promoção do desenvolvimento do turismo inteligente, o aprofundamento do desenvolvimento como Cidade Criativa de Gastronomia e moveu esforços para impulsionar o desenvolvimento da Grande Baía como destino turístico, entre outros.

 

No ano passado, mediante colaboração com a Alibaba Cloud, a DST colocou em serviço três projectos, designadamente: “plataforma de troca de dados do turismo”, “aplicação de observação dos visitantes” e “aplicação inteligente do fluxo de visitantes”. A DST lançou também um robô inteligente de turismo, desenvolvido por uma equipa local de investigação e modelado à imagem da mascote do turismo de Macau, “Mak Mak”, e activou a sua nova página electrónica de promoção turística. Por outro lado, através da abertura da plataforma de dados do Governo tornaram-se públicos dados de relevo para a indústria turística facilitando a obtenção de informações pelos visitantes e operadores.

 

A fim de prosseguir com o desenvolvimento de Macau como uma Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia, a DST organizou pela primeira vez uma demonstração culinária, conduzida por jovens chefes convidados das diferentes Cidades Criativas de Gastronomia, para reforçar o intercâmbio entre o sector de restauração local e os operadores do exterior. Um projecto denominado “Grande Jornada Gastronómica Verde”, foi também lançado pela DST em colaboração com a National Geographic para encontrar, apoiar e promover a implementação da gastronomia sustentável no sector de restauração de Macau.

 

Por outro lado, a DST participou nos trabalhos para o desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como destino turístico, incluindo a instalação de expositores sobre a Grande Baía em várias feiras internacionais de turismo e na 7.ª Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, foram convidados operadores turísticos das cidades da Grande Baía para participar na 7.ª Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, operadores turísticos do exterior visitaram também cidades da Grande Baía para promoverem no exterior a experiência do turismo multi-destinos e lançarem produtos turísticos da Grande Baía, entre outros.

 

Em 2019, a DST realizou mais de 1.967 inspecções a actividades e estabelecimentos turísticos, e 1.550 a postos fronteiriços e pontos de interesse turístico. Ao nível do combate à prestação ilegal de alojamento, no ano passado foram inspeccionadas 1.984 fracções e seladas 382 fracções, tendo o Grupo de Trabalho Interdepartamental levado a cabo 616 acções conjuntas.

 

Para celebrar o 20.° aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, a DST organizou, no ano passado, uma série de actividades nos principais mercados de visitantes, tendo também acrescentado elementos alusivos às celebrações nos eventos e realizou em conjunto com Zhuhai, o primeiro espectáculo de fogo-de-artifício Macau-Zhuhai.

 

Quatro pontos prioritários de trabalho a impulsionar em 2020

Este ano, a DST irá empenhar-se na promoção do desenvolvimento do turismo inteligente, no aprofundamento do desenvolvimento como Cidade Criativa de Gastronomia, na preparação da revisão do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau e no enriquecimento dos recursos de produtos turísticos da cidade, e irá promover uma série de trabalhos conforme quatro pontos prioritários.

 

Quatro pontos prioritários de trabalho da DST a impulsionar este ano:

1. Revisão do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau e promoção do desenvolvimento do turismo inteligente

Preparar os trabalhos de revisão do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau, em resposta às mudanças do ambiente turístico e ao desenvolvimento da indústria; em simultâneo, através da plataforma de troca de dados do turismo, alargar o âmbito da aplicação do banco de megadados do turismo para permitir a partilha e utilização pela indústria turística; desenvolver um planeamento de viagens inteligente para possibilitar aos utilizadores da página electrónica com diferentes interesses a personalização dos seus itinerários; integrar os conteúdos de “Sentir Macau ao Seu Estilo”, “Sentir Macau passo-a-passo” e “What’s On, Macao” numa só aplicação para telemóveis do turismo de Macau.

 

2. Prosseguir com o desenvolvimento de Macau como uma "Cidade Criativa de Gastronomia" e reforçar a divulgação e promoção turística

Organizar o “Fórum Internacional de Gastronomia, Macau” a fim de reforçar o intercâmbio cultural e cooperação com as Cidades Criativas, e mediante cooperacão interdepartamental impulsionar a construção de uma base de dados sobre a gastronomia macaense; quanto à promoção turística, promover Macau como destino importante e local ideal de passagem para os turistas internacionais que visitam a Grande Baía, reforçando o lançamento de novos produtos turísticos no âmbito de itinerários “multi-destinos” nos mercados internacionais e aproveitando as características e vantagens do turismo da Grande Baía; explorar produtos turísticos entre a Ilha de Hengqin e Macau, para impulsionar uma marca turística conjunta; intensificar os trabalhos de promoção online.

 

3. Enfoque na criação dum turismo de qualidade e elevação da qualidade da prestação de serviços do sector

Colaborar de perto no trabalho de apreciação das propostas de lei intituladas “Lei da actividade dos estabelecimentos hoteleiros” e “Lei da actividade das agências de viagens e da profissão de guia turístico”; acompanhar de forma expedita o trabalho de apreciação dos pedidos em sede de licenciamento respeitantes a estabelecimentos hoteleiros, estabelecimentos de restauração e demais tipos de estabelecimentos; realizar acções de fiscalização de rotina e com alvos específicos; colaborar de forma estreita e contínua com o grupo de trabalho interdepartamental no combate à prestação ilegal de alojamento; manter contacto estreito com as autoridades de turismo das diversas cidades e regiões da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, efectuar oportunamente troca de informações e melhorar o mecanismo de comunicação; continuar a implementar o “Programa de Avaliação de Serviços Turísticos de Qualidade” e providenciar acções de formação com acreditacão internacional para a indústria; realizar programas de formação para funcionários governamentais de turismo dos países de língua portuguesa.

 

4. Inauguração do Museu do Grande Prémio de Macau e enriquecimento dos recursos de produtos turísticos

A abertura do Museu do Grande Prémio de Macau está prevista para 2020, contando com a instalação de vários tipos de dispositivos interactivos multimédia, para proporcionar uma experiência inteiramente nova aos visitantes do museu; por outro lado, dar-se-á continuidade ao apoio no desenvolvimento de produtos turísticos marítimos, e explorar-se-á com o sector turístico a viabilidade da realização de passeios turísticos nas ilhas da Grande Baía; serão organizados vários eventos de turismo de grande escala, para os quais serão convidadas cidades da Grande Baía para participar.

 

A DST aperfeiçoará o plano de trabalho em sintonia com a evolução da situação do turismo, e de acordo com o relatório das Linhas de Acção Governativa, que será divulgado em Abril deste ano, fará os ajustamentos necessários para continuar a promover os trabalhos na área do turismo.

Actualizada: 15/01/2020